6 Sinais de Que Está Sofrendo de Crise de Identidade

A crise de identidade é uma epidemia que afecta a maior parte das nossas sociedades. Só que muitos sofrem dessa doença sem saber.

O pior que pode acontecer a um indivíduo é estar doente e não saber que está doente. E continuar a viver como se fosse um indivíduo saudável.

Todos nós sabemos dos riscos que a pessoa portadora de uma doença pode causar a si mesma e à sociedade.

E se for uma doença altamente contagiosa, as pessoas ao seu redor é que passam a sofrer mais.

Quando se trata de crise de identidade, é importante saber que ela é uma doença. E se não a encararmos como tal, corremos o risco de ser vítimas da sua manifestação.

E a razão pela qual muitos sofrem de crise de identidade e não procuram a cura, é por sofrerem na ignorância. Para que se trate uma doença é preciso conhecer os seus sintomas.

E quando se trata de crise de identidade, ela também tem os sintomas que a acompanham. Mas é preciso conhecê-los de modo a que possamos tratá-los.

Neste artigo irei partilhar consigo alguns dos sinais de crise de identidade. No final, será capaz de identificar esses sintomas em si mesmo, ou até nas outras pessoas.

Uma vez tendo identificado teremos meio caminho andado na busca da cura para essa doença.

Embora o objectivo deste artigo não é o de apresentar a cura, mas sim, de nos ajudar a sermos capazes de identificar os sinais de crise de identidade.

#1 Complexo de Superioridade

Quando se trata de complexo de superioridade a pessoa consedera-se superior a outra pessoa com base em certas critérios de comparação. Muitas vezes pessoas com complexo de superioridade baseiam a sua superioridade em questões triviais tais como: dinheiro, materialismo, qualificações, raça, tribo, gênero, classe social, filiação partidária, títulos, aparência, e outros.

Para essas pessoas essas questões são muito importantes e têm a tendência de se comparar com as outras. A sua base de comparação são sempre questões triviais como as acima mencionadas.

Na realidade o complexo de superioridade é um sinal de que a pessoa se sente inferior, e usa como capa algo que lhe vai fazer sentir superior à outra pessoa. O objectivo aqui é se comparar com outras pessoas usando bases e critérios sem fundamento nenhum.

Na realidade o que a pessoa está a fazer é manifestar a sua crise de identidade se escondendo por detrás de ideias ou coisas para validar a sua percepção de si mesmo. Do seu ponto de vista a pessoa que se comporta desse jeito sente-se valorizado sempre que se sentir superior à outra, e se sente ameaçada quando aparece alguém que tem algo melhor do que ele/a.

O complexo de superioridade de acordo com Wikipédia:

Complexo de superioridade refere-se a um mecanismo subconsciente de compensação neurótica desenvolvido por um indivíduo como resultado de sentimentos de inferioridade.

Na realidade a pessoa que manifesta o complexo de superioridade fá-lo porque sente-se inferior. Daí que o complexo de superioridade é apenas um mecanismo de defesa para quem o manifesta.

#2 Complexo de Inferioridade

O complexo de inferioridade é a outra face da mesma moeda, é o contrário do complexo de superioridade. Quem sofre do complexo de inferioridade sente-se inferior às outras pessoas. Quem sofre deste complexo tem a tendência a se comparar com as outras pessoas, e sempre se sente inferior a elas.

Este sentimento é muitas vezes imaginário e não tem nada a ver com a realidade da pessoa, mas pode até ser consequência de certas experiências que a pessoa teve no passado. No entanto, isso acaba fazendo parte de quem a pessoa acredita ser.

O complexo de inferioridade tem como causas o seguinte:

  • A atitude dos pais: a tendência dos pais fazerem a comparação entre filhos, e o pronunciamento de palavras negativas para os filhos.
  • Defeitos Físicos: defeitos como cochear, zarolho, albinismo, defeitos na fala, e outros.
  • Limitações Mentais: quando a performance da pessoa é inferior à esperada, e comparações desfavoráveis com as outras pessoas.
  • Preconceitos e Desvantagens sociais: família, raça, religião, tribalismo, pobreza.

Como pode perceber, as causas acima mencionadas têm um impacto negativo na forma de ser do indivíduo, pois, de acordo com o mesmo o seu mundo limita-se à percepção que o indivíduo tem da sua realidade.

O complexo de inferioridade desenvolve-se ao longo dos anos, até que isso torne numa programação na mente da pessoa em causa. Ela torna-se gritante na fase adulta quando chega o momento de tomar decisões sérias na vida. O que acaba limitando consideravelmente a sua participação activa na sociedade e principalmente na sua socialização.

Como pode perceber, a pessoa que sofre deste complexo está manifestando uma crise de identidade muito séria. Pois, na sua óptica defini-se com base nessa percepção.

#3 Competição

A comparação é geralmente a manifestação imediata do complexo de inferioridade e de superioridade. Pois quem sofre desse tipo de complexos tem a tendência a se comparar com os outros. Ele define a sua identidade com base nas outras pessoas.

O indivíduo em causa tem sempre a tendência de se comparar com os outros usando critérios como quem tem mais dinheiro, quem se veste melhor, as qualificações académicas, o estatuto social de que goza, a sua aparência física, o título que a pessoa tem, e outros.

Em norma a pessoa que tem a tendência de se comparar com as outras pessoas usa expressões como: “ela pensa que é melhor do que eu.”

Temos aqui um exemplo típico de alguém que sofre seriamente de uma crise de identidade crônica. Quando se chega ao ponto de se comparar com as outras pessoas é porque na realidade não conhece a sua verdadeira identidade.

Quem tem consciência da sua identidade não precisa se comparar com os outros porque sabe quem ele/a. E que a sua identidade não depende de mais ninguém.

Este tipo de comportamento é o que origina os grandes problemas sociais que enfrentamos nas nossas sociedades. Seja isso racismo, tribalismo, violência, nacionalismo, Xenofobia, e outros. Todos eles são consequências directas de uma sociedade em crise de identidade.

Até que a sociedade saiba se definir correctamente e para além de questões superficiais, as grandes injustiças sociais irão prevalecer.

#4 Baixa Auto-Estima

A auto-estima de cada indivíduo é muito importante para o seu desempenho na sociedade. Infelizmente, temos um problema muito grave nas nossas sociedades que são a consequência directa da baixa auto-estima.

Quando se tem uma auto-estima abaixa a pessoa tem dificuldades sérias de socializar com os outros, e até de ter um bom desempenho em tudo o que for a fazer.

A baixa auto-estima resulta da fraca valorização da pessoa, falta de confiança em si mesma, falta de dignidade, e insegurança. Tudo isso é resultado de uma percepção distorcida da sua identidade. Ou por outra, é consequência de uma crise de identidade.

A pessoa que sofre de baixa-auto estima foi vítima do seu ambiente social. A pessoa pode ter crescido a ouvir palavras negativas sobre si mesmo. Se a pessoa cresceu num ambiente onde sempre era criticado, humilhado, e vítima de palavras pejorativas, acaba sofrendo de baixa auto-estima.

Isso pode ser também consequência de um estado físico anómala, como por exemplo, excesso de peso, ou até de uma aparência física desagradável. Pessoas que sofrem de acne por exemplo, acabam tendo baixa auto-estima.

O ambiente social em que a pessoa tenha crescido também tem um impacto negativo no desenvolvimento da baixa auto-estima. Questões como a pobreza, carência, baixo estatuto social, contribuem para o efeito.

#5 Preconceitos

O preconceito é a outra forma de manifestação de crise de identidade. Em norma, a pessoa preconceituosa mostra ideias pre-concebidas sobre sem nenhum fundamento crítico ou lógico, a respeito de uma pessoa ou grupo de pessoas.

As opiniões com base em preconceitos são resultados da ignorância dessa pessoas. Essa ignorância é causada por ideias pre-concebidas, e manifesta-se com base na intolerância e desprezo por outras pessoas.

Existem vários tipos de preconceitos, tais como: preconceito racial, preconceito sexual, preconceito social, preconceito linguístico, e outros tipos de preconceito.

Na verdade esta forma de expressão de crise de identidade, é a mais nociva de todas. Pois ela tem a tendência a ser agressiva, e intolerante. Na realidade pessoas preconceituosas são pessoas intolerantes, e interpretam a vida e a sociedade com base nas suas ideias pre-concebidas.

A intolerância que se vive na sociedade deve-se aos preconceitos que se manifestam nas suas mais variadas formas.

Infelizmente, muita gente está cheia de preconceitos e não sabe que isso é consequência da crise de identidade.

#6 Insegurança

A insegurança é um dos principais sintomas de crise de identidade. Quando nos sentimos inseguros é pelo facto de pensarmos que não somos capazes de realizar algo com perfeição. E muitas vezes essa insegurança não é baseada na realidade, mas sim no facto de pensarmos que somos incapazes.

Isso acentua-se mais num ambiente onde há outras pessoas fazendo algo, ou quando se espera de nós que façamos alguma coisa, ou tomemos alguma ação.

O grande problema com a insegurança é que ela nos paralisa até ao ponto de não agirmos. E assim ficamos na mediocridade.

Quem sofre de insegurança muitas vezes fica a espera que outras pessoas possam validar a sua capacidade, ou até mesmo de suas opiniões. Pensando desta maneira dificilmente se chega a algum lugar, porque a pessoa fica paralisada.

Por isso, a melhor forma de combater a insegurança é desenvolvendo a sua auto-estima, e a capacidade de ser proactivo sempre que for necessário.

Conclusão

Agora que já conhece os sinais de crise de identidade pode fazer uma auto-avaliação para saber se sofre ou não dela. Será que alguns desses sinais fazem parte da sua vida? Ou talvez conheça alguém que tenha alguns desses sinais.

Na verdade, todos nós conhecemos uma ou mais pessoas que sofrem de crise de identidade. Começando por nós, seria uma boa oportunidade para fazer uma auto-avaliação e descobrir se tem alguns desses sinais.

O conhecimento desses sinais nos ajudará a melhor compreendermos porque é que nós ou certas pessoas agem de uma certa forma. Sendo assim, seremos um pouco mais compreensivos e mais tolerantes com as pessoas.

%d bloggers like this: